Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

sábado, 15 de julho de 2017

Vingança

Desde o início desta batalha, eu tenho dito que se a justiça não fosse feita, restaria a vingança. Não sei qual o mistério, que fez alguns jornalistas que trabalham recebendo verbas do Mosconi, se espantarem com isso. Muito menos a justiça e a polícia que são parte desta máfia.

A imprensa é parte disso. Hoje a imprensa é um veículo de blindagem de políticos. Eles pagam e a imprensa só publica o que eles querem. Basta ler o diálogo abaixo.




terça-feira, 11 de julho de 2017

Mosconi chamou a polícia. kkkkkkkkkk

Caros leitores.

O chefe da quadrilha de tráfico de órgãos, ex-assessor especial de Aécio Neves e atual secretário da saúde de Poços de Caldas, Carlos Mosconi, chamou a polícia.

Sim meus caros, ele chamou a polícia - aquela que fez acordo para não fazer autópsia em doadores de órgãos. Ele quer que a polícia tome providências contra mim, por tê-lo ameaçado de morte.

Depois de 17 anos de espera, das ameaças que eu recebi e de tudo o que fizeram, eles apelaram para o que sabem fazer de melhor: A corrupção. Começaram ameaçando o juiz Narciso de Castro de morte. Mas a polícia não fez nada. Depois ameaçaram testemunhas e a polícia também não fez nada.

Agora a polícia vai investigar as minhas ameaças. Depois de 17 anos de espera por uma condenação, Mosconi foi aos jornais dizer que na 2a instância tudo seria revertido. E tudo foi revertido. Desembargadores anularam as sentenças e mandaram os processos recomeçarem do zero. Obviamente eles sabem que vão prescrever.

Agora, imagine! Eles matam o seu filho, destroem sua família, fazem ameaças, obrigam a você pedir asilo em outro país e quando você diz que vai se vingar, eles procuram a polícia. kkkkkkkkkkkk

A polícia aliás, é a mesma que Mosconi usa para permitir, por exemplo, o jogo do bicho. Esta polícia corrupta é a que vai me investigar. O delegado é parceiro de Mosconi. Eles se conhecem muito bem. Mais uma vez, Mosconi está usando o Estado para cobrir um crime que ele cometeu. 

Mosconi mandou matar Carlos Henrique Marcondes, e há provas mais do que suficientes. Tanto que o Ministério Público disse que Carlão foi morto pela máfia e em seguida arquivou o processo.

A "imprensa" de Poços de Caldas, que lambe as botas de Mosconi, publicou com destaque a notícia. Mas nunca tiveram coragem de publicar a verdade sobre o caso, nem tão pouco questionaram a anulação das sentenças. Mosconi controla tudo.


Minha obrigação é defender a minha família. E assim será.

domingo, 9 de julho de 2017

Tráfico de órgãos.

Caros leitores.

O tráfico de órgãos ficou comprovado. Evidentemente, pelo poder financeiro e político da máfia, não haveria como ser diferente. As anulações foram compradas e os processos serão prescritos antes de uma decisão final.

Flavio Batista Leite, perseguiu o processo durante todo o tempo. Logo no início, em 2013, chegou a suspender audiências sem qualquer base legal, contando apenas com a reclamação dos advogados. Recentemente vimos o STF e o STE arquivando processos ignorando completamente as provas existentes. Neste contexto, podemos concluir que não há mais lei no Brasil. Há apenas um balcão de negócios. E se não há lei, qualquer um de nós pode se aproveitar disso.

O juiz do caso foi ameaçado até ter de deixar a vaga de juiz de Poços de Caldas e se mudar para outra cidade. Em seu lugar a máfia colocou uma juíza alinhada com o crime. Tânia Maria de Azevedo Grandal Coêlho tem como objetivo principal fazer como que os processos prescrevam. Está tudo parado na 1a instância.

Sendo assim, registro meu último desabafo e prometo que dedicarei a minha vida, daqui por diante, por vingança. Este crime não ficará impune. Todos temos filhos. É apenas uma questão de tempo.

Encerro aqui o assunto tráfico de órgãos. A vingança é uma promessa.


sábado, 8 de julho de 2017

A gorda e o vassalo

É perfeitamente compreensível a anulação das sentenças.

O desembargador Flavio Batista Leite foi levado ao posto de desembargador, não pelos seus conhecimentos jurídicos e sim por uma espécie de "quotas". Portanto ele está ali para limpar o chão de seus coronéis. É um vassalo da justiça mineira.

Já a desembargadora Karin Emmerich, o problema é mais sério. A obesidade mórbida em que ela sempre viveu causa sérios problemas psicológicos e o estigma de inferioridade. Uma pessoa com problemas de autoestima e um filho defeituoso, resolve se vingar contra aqueles que fizeram filhos maravilhosos e lindos, e ainda ganhar uma graninha extra, atendendo aos coronéis.


Karin Emmerich, a gorda nas costas de Flavio Batista Leite, o vassalo