Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

terça-feira, 11 de julho de 2017

Mosconi chamou a polícia. kkkkkkkkkk

Caros leitores.

O chefe da quadrilha de tráfico de órgãos, ex-assessor especial de Aécio Neves e atual secretário da saúde de Poços de Caldas, Carlos Mosconi, chamou a polícia.

Sim meus caros, ele chamou a polícia - aquela que fez acordo para não fazer autópsia em doadores de órgãos. Ele quer que a polícia tome providências contra mim, por tê-lo ameaçado de morte.

Depois de 17 anos de espera, das ameaças que eu recebi e de tudo o que fizeram, eles apelaram para o que sabem fazer de melhor: A corrupção. Começaram ameaçando o juiz Narciso de Castro de morte. Mas a polícia não fez nada. Depois ameaçaram testemunhas e a polícia também não fez nada.

Agora a polícia vai investigar as minhas ameaças. Depois de 17 anos de espera por uma condenação, Mosconi foi aos jornais dizer que na 2a instância tudo seria revertido. E tudo foi revertido. Desembargadores anularam as sentenças e mandaram os processos recomeçarem do zero. Obviamente eles sabem que vão prescrever.

Agora, imagine! Eles matam o seu filho, destroem sua família, fazem ameaças, obrigam a você pedir asilo em outro país e quando você diz que vai se vingar, eles procuram a polícia. kkkkkkkkkkkk

A polícia aliás, é a mesma que Mosconi usa para permitir, por exemplo, o jogo do bicho. Esta polícia corrupta é a que vai me investigar. O delegado é parceiro de Mosconi. Eles se conhecem muito bem. Mais uma vez, Mosconi está usando o Estado para cobrir um crime que ele cometeu. 

Mosconi mandou matar Carlos Henrique Marcondes, e há provas mais do que suficientes. Tanto que o Ministério Público disse que Carlão foi morto pela máfia e em seguida arquivou o processo.

A "imprensa" de Poços de Caldas, que lambe as botas de Mosconi, publicou com destaque a notícia. Mas nunca tiveram coragem de publicar a verdade sobre o caso, nem tão pouco questionaram a anulação das sentenças. Mosconi controla tudo.


Minha obrigação é defender a minha família. E assim será.

Nenhum comentário:

Postar um comentário