Desembargadores comprados

Desembargadores comprados

domingo, 9 de julho de 2017

Tráfico de órgãos.

Caros leitores.

O tráfico de órgãos ficou comprovado. Evidentemente, pelo poder financeiro e político da máfia, não haveria como ser diferente. As anulações foram compradas e os processos serão prescritos antes de uma decisão final.

Flavio Batista Leite, perseguiu o processo durante todo o tempo. Logo no início, em 2013, chegou a suspender audiências sem qualquer base legal, contando apenas com a reclamação dos advogados. Recentemente vimos o STF e o STE arquivando processos ignorando completamente as provas existentes. Neste contexto, podemos concluir que não há mais lei no Brasil. Há apenas um balcão de negócios. E se não há lei, qualquer um de nós pode se aproveitar disso.

O juiz do caso foi ameaçado até ter de deixar a vaga de juiz de Poços de Caldas e se mudar para outra cidade. Em seu lugar a máfia colocou uma juíza alinhada com o crime. Tânia Maria de Azevedo Grandal Coêlho tem como objetivo principal fazer como que os processos prescrevam. Está tudo parado na 1a instância.

Sendo assim, registro meu último desabafo e prometo que dedicarei a minha vida, daqui por diante, por vingança. Este crime não ficará impune. Todos temos filhos. É apenas uma questão de tempo.

Encerro aqui o assunto tráfico de órgãos. A vingança é uma promessa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário